Não importa quando, onde, ou quem, a jornada do herói é sempre a mesma. E isso inclui até mesmo um certo super-herói que foi mordido por um grilo radioativo (se é que grilos mordem).

Nessa história em quadrinhos, o Homem-Grilo irá percorrer um caminho que já fora percorrido por diversos outros heróis, dos tempos mais remotos aos dias atuais. Uma viagem de ao , de ao , de ao , dos aos .

Essa história foi publicada originalmente na edição número 2 do fanzine do Homem-Grilo como uma homenagem ao centenário de , e partir de hoje até o fim do ano, irei republica-la aqui no site para vocês. Assim, que ainda não leu poderá conhecê-la, e quem já leu poderá ler de novo.

Quem me conhece, sabe que tenho Campbell como um dos meus grandes mestres, e O Herói de Mil Faces é um grande guia pra mim. E o meu desafio era fazer uma história em quadrinhos onde eu pudesse utilizar tudo que havia aprendido sobre a jornada do herói. Então apesar de ter apenas seis páginas, essa HQ do Homem-Grilo foi uma das que meu deu mais trabalho para escrever, pois não foi fácil resumir toda a essência de um livro de quase 400 páginas (e de uma grande densidade filosófica) numa história que ainda por cima deveria ser engraçada.

Essa HQ, portanto, possui várias camadas narrativas que relacionam a estrutura das histórias em quadrinhos de super-heróis, e do próprio mercado de quadrinhos, a estrutura do descrita por Campbell. Infelizmente a maioria das pessoas conseguem apenas enxergar a camada mais superficial dessa história, e são poucos os que avançam para as camadas mais profundas. Apesar disso, acredito ter sido bem sucedido no meu intento com essa HQ.

Mas só vocês poderão me responder isso com certeza! =)