Published On: 16 de novembro de 2007

11 thoughts on “Grandes Mistérios do Mundo dos Super-Heróis III

  1. Gostei principalmenta pelo Homem-Borracha no fim da fila, hehehehehe!

  2. É difícil de acreditar que um super-herói se esconda atrás de um simples óculos. Então pra não perder as esperanças de vez, vamos apenas fingir que com esses óculos, ele seja apenas um cidadão comum e covarde, incapaz de assumir que, realmente, pode fazer a diferença.

  3. Pois é, isso sempre foi um mistério! Principalmente se considerarmos alguém que conheça o Clark Kent e se encontre algum dia com o Super-Homem. Por exemplo, a Lois Lane… No caso dela, talvez o ditado "o amor é cego" possa explicar.

  4. Eu tenho uma HQ do Super-Homem (da Era de Prata, desenhada pelo Curt Swan), com a "explicação" pra esse fenômeno. Tem a ver com o poder de "super-hipnose" (Era de Prata, lembre-se) dele. Se quiser saber mesmo e não estiver brincando, posso mandar pra vc. Acho que tem umas 3 páginas…

    O Super atual eu não acompanho, mas a "explicação" atual que eu vejo os fãs comentando em fóruns é que simplesmente ninguém acha que o Super-Homem tenha identidade secreta. Como o cara aparece em tudo que é lugar do globo salvando vidas, todo mundo acredita que ele seja Super-Homem o tempo todo, 24 horas por dia.

  5. Jean, me envia essas páginas sim que aí eu publico elas aqui no blog.

  6. Sei lá, para além da curtição dos leitores, essas racionalizações todas são meio viagem. Uma coisa que me lembro bem é que o Christopher Reeve no filme de 1978 conseguia enganar legal, com o lance do cabelo arrumadinho, óculos e postura diferente. Coincidentemente, fiz hoje uma postagem sobre a versão dos anos 80, feita pelo John Byrne, que considero a melhor de todas.

  7. A fase do Super-Homem que eu gosto mesmo é a do Elliot Maggin e do Cary Bates. Eu curtia aquele tom quase "religioso" do personagem, a comparação dele com Cristo. Tem muita gente que gosta da versão do John Byrne mesmo, mas pra mim ele apenas transformou o Super-Homem num genérico da Marvel… E foi quando eu parei de ler.

    O Omelete tem dois artigos sobre a passagem do Maggin e do Bates no gibi do Super, caso alguém se interesse:

    http://omelete.com.br/quad/100003225/O_Super_Home

    http://omelete.com.br/quad/100003197/Deve_existir

  8. Não sei se "genérico da Marvel" seja uma boa definição. Acho mais que ele tentou tornar o personagem mais racionalista, para um público mais exigente dos anos 80. Mas concordo que há algo de muito interessante naquelas HQs clássicas com diversas kryptonitas e tudo o mais.

  9. isso não é nada devia ver algumas heroínas como Sailor moon e pretty sammy. Tem hora que imagino elas pregando um band-aid na testa e não serem reconhecidas nem pela mãe.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.